SOB CONTROLE ENFIM

o
o
Só pra finalizar. Creio que transferir para um objeto inanimado, o amor e apreço que poderíamos dedicar a um ser humano, é bem uma característica dos nossos tempos. Tempo em que a comunicação se expandiu tanto e temos tantos amigos virtuais, que perdemos a virtude do contato. A intimidade mingua quando relacionamos em escala de multidão. Então, é mais fácil ter intimidade com as coisas que nos rodeiam mesmo. Por exemplo, eu converso com um blog, pode!? Pode. Eu falo e penso que ele responde e então continuo esse diálogo-monólogo, meio que terapêutico. Há tempos, há os que conversam com seus próprios botões, há os que conversam pelos cotovelos e os que respondem boa noite pro William Bonner e pra Fátima Bernardes. Há também os que conversam com seus cachorros e juram sinceramente a capacidade de traduzir os latidos. Minha melhor amiga, queixou-se um dia das impossibilidades do tempo e da amizade. Agora ela conversa demoradamente com seus livros de psicologia e comportamento. E eu fico a invejar-lhe por uma saída tão intelectual. Saída pálida de quem falhou.
E principalmente, há quase todos nós, que quando estamos aflitos e solitários, conversamos com Deus em orações e súplicas. E este sim, embora não o vejamos, temos a certeza que nos ouve prontamente.
o
o

Um comentário:

Luka disse...

Olá!!! Obrigada pela sua visita, te desejo sucesso tb, bem interessante seu blog ... já sou seguidora... em breve estarei com atualizações. BjuXXXX