ENTRELINHAS

o
o
e sempre que ele saía retornava me trazendo um sonho de panificadora. Eu reclamava, dizia que tava engordando ou que o sonho era dormido. Ele ficava triste e dizia que não sabia comprar outra coisa. Até que entendi... sonho não engorda. São os sonhos que nos nutrem. E tinha mesmo que ser dormido... que falha a minha, pois foi ao amanhecer que compartilhamos os nossos melhores planos. Entendi principalmente, que aquele gesto quotidiano, era só o seu jeito tímido de repetir eu te amo... eu te amo....eu te amo....0
0

5 comentários:

Pavitra disse...


nas entrelinhas
entre lençóis
o amor
tbm se descobre
depois de virar
virar
virar
de um lado
para o outro
até virar sonho!

Gil de todos os dias disse...

Se é sonho, que seja bem-vindo! Seja qual for!

Simone Gois :) CotidiAmo disse...

Tenho um de nó e lençois também Pav, vou te mostrar, beijos

Simone Gois :) CotidiAmo disse...

Gil agora ele deu um tempo nos sonhos e só compra "pequi"... você gosta? Eu amo!

Lídia Valéria disse...

Visitei seu blog. Gosto muito de suas escritas e parabenizo-a. Bom ler o que escreve e já me identifiquei com um post.

Você é privilegiada em ser presenteada com 'sonhos'. Esqueça o açúcar e faça depois 'doçuras' com quem a presenteia.

Amo sonhos! Como sem remorsos.

Coma, agradeça, sonhe e viva... Vale!