INVERNO II

É vestida de outono que recebo mais um inverno, e há previsões de madrugadas geladas. Não sou do frio, o inverno me intimida, embora a pouco tempo percebo que estou mais ativa nesse período. Não como quem se sente melhor com as baixas temperaturas. Acho que é porque sei do desafio e ajo assim, enfrentado limites de nariz vermelho.
Quando criança eu tinha umas crises de frio, inexplicáveis. Sentia tanto frio, sem que necessariamente estivesse tão frio assim,  que às vezes era preciso vários cobertores para eu me sentir aquecida. Em certas ocasiões, só passava com um cobertor todo feito de abraço. Talvez porque eu era tão magrinha que a pouca gordura que havia, não fosse suficiente para a manutenção da temperatura corporal, ou quem sabe, apenas artimanha infantil, inconsciente, em busca de carinho. A mente e seus rodeios e o corpo buscando formas possíveis de tradução...
Há muito charme no inverno e um cheiro de naftalina no ar. Mas há um perigo a espreita. E não é de gripes e resfriados, embora sejam iminentes. É que a minha fome se agrava no inverno e só passa quando passa a estação.  Então vou subtraindo os excessos com algum exercício. Mas não deixo de exercer meu direito a um bom chocolate quente quando bate a vontade.
Porém, não é apenas de frio e fome que é feito o meu inverno. Sinto algo mais, e sinto muito, que a nossa humanidade não seja suficiente para agasalhar a todos que a todo esse frio sentem. Espero que nosso inverno seja repleto de atitudes calorosas.
O inverno é assim, o que se espera, uma luta dentro de mim e fora uma vitória diária, sair da cama quente e viver cada instante com esperanças de primavera.
O

3 comentários:

Margaryte disse...

Me segue, já estou te seguindo. Um abraço!(http://viuve-feliz.blogspot.com/)

KK disse...

Lindo post!!!
estou seguindo, bjus.

http://oradionaotoca.blogspot.com/

** Freitas ** disse...

Gostei muito do blog, parabens!