VIAS III

O
O

Poeminhas amassados pelo chão, sinalizam um caminho sem volta. Em cada pedaço de mim um sentido se aguça e revolta. Reviro, tento, margeando inícios. Mas não me arrependo, vou seguindo ao sabor do vento, em silenciosa busca, onde me reinvento.

O
O

5 comentários:

Igor Cardoso disse...

Está aí a magia da vida... o segredo da felicidade...

"RE-inventar-se" a cada dia que se inaugura!

Bjos!
Adorei o blog!

O Profeta disse...

...Às vezes uma intensa alucinação
Em que viajas pelo meu eu
Às vezes o mundo fica em espera
Da união do mar com o céu

Onde param os teus anseios
Onde encontras a sublime calma
Nestes dias de dura tormenta
Onde aqueces a tua alma?

Voa comigo...


Mágico beijo

Pedro Ferreira disse...

Deixo aqui os meus votos de boas festas Simone...
Que tenha um excelente Natal e que 2010 seja um ano cheio de coisas boas...

M. A. disse...

Delicado.

Sílvia disse...

Tentar encontrar uma nova edição de nós. Pena ninguém nos indicar os parágrafos errados.

Beijo