PRESENÇA

O
O
Foi só silêncio
Esta noite vaga
Estranhamente povoada
Por adormecimentos primeiros


Onde alheia
A tudo e a nada
Perpetuavam lembranças

e aconchegos

Então vi
nitidamente
As eras escondidas
Entre sorrisos e vestidos
Avessos
estavam lá, desde sempre
Onde a velada inconsciência
Silenciosamente
Impera
Sem resistência
O
0



3 comentários:

Adriana Costa disse...

Simone,
Em reconhecimento pela sensibilidade poética de teus versos, ofereço-te um "selo virtual", visite meu blog e esteja à vontade para aceitá-lo.

Beijinhos @>--

Cosmunicando disse...

gostei demais, essa presença inconsciente que nos põe do avesso.
bjos

Adriana Costa disse...

heheheh

brincadeira, não ri rsrsrs
agora é só usar o selo na sua barra lateral, se quiser. E fazer uma postagem indicando os blogues que você recomenda. É uma forma bem legal de divulgação dos blogs.

Beijinhos @>--